domingo, 11 de julho de 2010

Pequena Dor


A minha vida tem sido agridoce
Tinha medo de me conhecer e pudor de quem era
Andava sedento de Amor
Queria ir mais além, não estava satisfeito
Queria-me encontrar fora de mim
Até ao dia em que percebi que desejava o impossível
Tinha de olhar para o meu coração
E descobrir as maravilhas que em mim habitavam
E então fez-se luz, as sombras desvaneceram
No entanto estava longe de ser o fim, era apenas o início
Porque tal como o sol se esconde de noite
E a vela chega ao fim, é necessário manter a luz acesa
E depois aumentar a intensidade, e depois partilhar,
Até ao dia em que Eu e a Luz nos tornamos um só e por isso
Resplandeço onde quer que esteja.

Um comentário:

  1. estou gostando desse blog..., vai indo bem! muito bem! filhotinho de leão

    ResponderExcluir